Notícias

APEX - Aliança para a Promoção da Excelência na AP

Protocolo de colaboração com Instituições de Ensino Superior e Escolas de Negócio

A Direção-Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas (INA) celebrou um protocolo de parceria com nove Instituições de Ensino Superior e Escolas de Negócio, que cria a APEX – Aliança para a Promoção da Excelência na Administração Pública. Esta Aliança irá oferecer condições mais favoráveis aos trabalhadores e dirigentes públicos que pretendam investir na sua formação profissional.

O protocolo, que tem a duração de um ano, determina que os trabalhadores e dirigentes da Administração Pública interessados em frequentar a oferta formativa destas instituições, sejam elas públicas ou privadas, pagarão 20% do preço praticado no mercado.

Com esta parceria, é possível disponibilizar uma oferta de formação de elevada qualidade em ciência da administração, liderança, marketing, direito, sistemas de informação, inovação, imagem e comunicação. Também as áreas de segurança e saúde no trabalho, auditoria, contabilidade, finanças, estratégia, distribuição, fiscalidade, recursos humanos, economia, serviço social, relações internacionais, psicologia, entre outras áreas científicas, serão abrangidas.

As instituições que integram este protocolo são a AESE Business School, a Católica Lisbon School of Business and Economics, a Católica Porto Business School, o ISCTE Executive Education, o ISCSP – Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, o ISEG – Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa, a Nova School of Business and Economics – Executive Education, a Porto Business School, a Universidade Europeia e a Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa.

O INA já disponibilizou no seu portal online a lista dos cursos, agrupados por instituição e com a indicação dos respetivos valores (de mercado e suportado pelos candidatos que sejam admitidos), bem como o número de vagas que ficarão disponíveis para cada curso para a Administração Pública.

As candidaturas serão feitas diretamente pelos candidatos nas plataformas das respetivas instituições, que irão apreciar e decidir sobre a admissão dos candidatos à luz dos critérios de seleção definidos, como a adequação do perfil e a experiência do candidato aos conteúdos programáticos.

Para acompanhar e avaliar o protocolo, foi criada uma comissão de acompanhamento com representantes de todas as partes. Esta comissão irá, por exemplo, ajustar a oferta formativa em função da procura reportada e das necessidades identificadas.