anterior
seguinte


Correio da AESE n.º 695 | 19 de abril de 2017

A economia está a mexer… A REN adquiriu as redes de gás portuguesas à EDP e os trabalhadores da TAP vão participar no processo de privatização do grupo. Enquanto isso, o 42.º PADE foi saber localmente como se fazem “negócios na China”, “uma realidade tão diferente e tão atual nas nossas vidas”, segundo Eugénio Fernandes, Diretor Comercial da Euro Atlantic Airways.

Cada vez mais, a iniciativa pessoal dita quão longe se pode chegar profissionalmente. A atestar isso esteve Nuno Rosa, PMI Global Go-to-Market Strategy Team Leader, da Coty em Paris, a contar de viva voz o que o leva a crer que “temos de ir à procura das oportunidades”.  No mesmo evento sobre International Career Management, Paulo Varela, Business Development da Galp Internacional, defendeu a importância de incentivar os jovens em início de atividade a abraçar uma geografia mais vasta, com vantagens na aceleração estratégica de carreira.

Também nas empresas, a implementação da estratégia foi um tema que trouxe Carlos Folle, Professor do IEEM, a Coimbra, para uma sessão organizada em parceria com a Fundação Bissaya Barreto. O Professor analisou os fatores críticos de sucesso a ter em consideração e alertou sobre como gerir as ameaças. Em Lisboa, explicou, juntamente com Peter Villax, Presidente da Associação das Empresas Familiares, como aumentar a confiança nas empresas familiares, preparar a delegação e gerir questões tão essenciais e delicadas como a autoridade e o poder.

Foi também a confiança que levou o Prof. Luís Manuel Calleja ao Porto. Ao debruçar-se sobre o caso UFINET, o Professor e os Alumni destacaram os ensinamentos a retirar do alinhamento entre a Direção Geral e os acionistas de uma empresa. No seu entender, “a falta de confiança não se compensa com bons contratos de colaboração”. Saiba porquê e as soluções que Calleja avança.

Representantes de “uma nova geração afirmativa e impulsionadora do setor primário”, com responsabilidade de direção, terminaram a 3.ª edição do programa GAIN. Com a convicção de que o setor agrícola e agroindustrial “terá um crescente peso no PIB e irá contribuir de forma decisiva para “empurrar” a nossa economia para “cima””, o ambiente do último dia de programa foi de um convívio salutar e bem humorado. A mensagem que ressoou do Presidente do GAIN foi a do valor acrescentado gerado em todos os colegas ao longo deste processo de transformação.

A capacitação de olhar para os números sem temê-los mereceu recentemente a atenção da AESE. O seminário “Contabilidade descodificada”, feito a pensar na descomplexificação da leitura e da interpretação de documentos contabilísticos por parte de dirigentes de outras áreas académicas foi alcançado. Sobre isto, Maria Alexandra Pereira Bastos, Diretora Comercial da Luzeiro, comentou: “O conhecimento com que ficámos sobre a importância das rubricas e de alguns rácios indicadores que podemos calcular, dá-nos a possibilidade de afinar estratégias e antecipar tendências e dificuldades, sem ser no final de cada exercício. E desta forma podemos conseguir gerir melhor em cada momento.”


No Panorama veja notícias sobre …
•    Capitalismo com impacto social
•    Marijuana não disponível em farmácias
•    Encontrar sentido para a vida ao aproximar-se a morte
•    O dataísmo, a nova religião de Silicon Valley

Reflexões mais profundas na Documentação:
•         Utopia: fábula ou programa político?
•         More político: compromisso e integridade


Cláudia Dias | claudiadias@aese.pt