Notícias

Estrutura financeira do setor da Vinha e do Vinho, e a sustentabilidade das empresas

O Projeto CV3 

Projeto CV3
A ESTRUTURA FINANCEIRA DO SETOR DA VINHA E DO VINHO E A SUSTENTABILIDADE DAS EMPRESAS
4 junho 2109, Porto
O Projeto CV3, Criação de Valor na Vinha e no Vinho, propõe a análise do cluster empresarial do VeV como um ecossistema de negócio que cruza uma variedade de indústrias e atividades, gerando oportunidades para a criação de espaços de cooperação e competição.
Prosseguindo esta missão, realizou-se o quinto evento do Projeto, que teve lugar na Casa do Vinho Verde, no Porto. Neste evento foi analisado um dos condicionantes típicos da sustentabilidade das empresas: a sua estrutura financeira e a capacidade para assegurar o crescimento e a viabilidade, a longo prazo.
A contribuição de abertura para a discussão coube a António Rios Amorim, CEO da Corticeira Amorim, uma das empresas mais relevantes do cluster em Portugal. António Amorim falou sobre as principais tendências da indústria do vinho, ao nível da produção, consumo e comercialização, e da estreita relação entre esta e indústria da cortiça; a partir daqui, falou também das principais tendências no âmbito do posicionamento e packaging.
António Rios Amorim, CEO da Corticeira Amorim, na sua apresentação
Em segundo lugar, foram apresentadas as principais conclusões da análise desenvolvida pela PwC para o Projeto CV3 sobre a estrutura financeira das empresas do setor, analisando o cluster por segmentos do mercado em função da sua dimensão e dando enfoque às estruturas de balanço sustentáveis a longo prazo; uma análise que se focou em âmbitos como o tipo de empresas, recursos humanos, atividade e rendibilidade, investimento no setor e principais desafios do setor em Portugal e comparação com tendências globais.
António Correia, da PwC, na apresentação do estudo “Estrutura Financeira da vinha e do vinho em Portugal”
A seguir, num painel de debate, foi abordada a problemática do crescimento das empresas e o seu financiamento, preocupação central dos operadores pela necessidade de assegurar a viabilidade financeira num mercado altamente competitivo. A moderação deste painel esteve a cargo de José Gabriel Chimeno, um dos responsáveis do Projeto CV3.
Painel de discussão sobre o tema “Financiar o crescimento e a viabilidade das empresas”
No final, foi discutido e apresentado por Pedro Alvito, professor da AESE, o caso “Casa Relvas”; mais uma vez, com o método do caso, colocaram-se os participantes em face de desafios empresariais verídicos, permitindo analisar, de forma aberta, os problemas reais de competitividade das empresas do setor, com a geração de alternativas ou críticas às soluções apresentadas.
Um programa rico e preenchido, num edifício com uma localização ímpar sobre o rio Douro, gentilmente cedido para o efeito pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, cujo Presidente, Manuel Dias Pinheiro, proferiu palavras de agradecimento e estímulo ao Projeto CV3, no encerramento do evento.

O Projeto CV3, Criação de Valor na Vinha e no Vinho, propõe a análise do cluster empresarial do VeV como um ecossistema de negócio que cruza uma variedade de indústrias e atividades, gerando oportunidades para a criação de espaços de cooperação e competição.

Prosseguindo esta missão, realizou-se o quinto evento do Projeto, que teve lugar na Casa do Vinho Verde, no Porto. Neste evento foi analisado um dos condicionantes típicos da sustentabilidade das empresas: a sua estrutura financeira e a capacidade para assegurar o crescimento e a viabilidade, a longo prazo.

A contribuição de abertura para a discussão coube a António Rios Amorim, CEO da Corticeira Amorim (na fotografia), uma das empresas mais relevantes do cluster em Portugal. António Amorim falou sobre as principais tendências da indústria do vinho, ao nível da produção, consumo e comercialização, e da estreita relação entre esta e indústria da cortiça; a partir daqui, falou também das principais tendências no âmbito do posicionamento e packaging.

Em segundo lugar, foram apresentadas as principais conclusões da análise desenvolvida pela PwC para o Projeto CV3 sobre a estrutura financeira das empresas do setor, analisando o cluster por segmentos do mercado em função da sua dimensão e dando enfoque às estruturas de balanço sustentáveis a longo prazo. A análise focou-se em âmbitos como o tipo de empresas, recursos humanos, atividade e rendibilidade, investimento no setor e principais desafios do setor em Portugal e comparação com tendências globais.

A seguir, num painel de debate, foi abordada a problemática do crescimento das empresas e o seu financiamento, preocupação central dos operadores pela necessidade de assegurar a viabilidade financeira num mercado altamente competitivo. A moderação deste painel esteve a cargo de José Gabriel Chimeno, um dos responsáveis do Projeto CV3.

No final, foi discutido e apresentado por Pedro Alvito, professor da AESE, o caso “Casa Relvas”; mais uma vez, com o método do caso, colocaram-se os participantes em face de desafios empresariais verídicos, permitindo analisar, de forma aberta, os problemas reais de competitividade das empresas do setor, com a geração de alternativas ou críticas às soluções apresentadas.

Foi um programa rico e preenchido, num edifício com uma localização ímpar sobre o rio Douro, gentilmente cedido para o efeito pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, cujo Presidente, Manuel Dias Pinheiro, proferiu palavras de agradecimento e estímulo ao Projeto CV3, no encerramento do evento.