José Eduardo Magalhães

"Frequentar um Executive MBA ao mesmo tempo que se exerce uma atividade profissional deve ser uma decisão cuidadosamente ponderada.

O impacto no trabalho e nos colegas é alto, assim como na disponibilidade para atividades pessoais, exercício físico, descanso ou lazer. Mas sobretudo o que deve ser mais ponderado é o impacto na vida familiar e nos amigos. Durante dois anos, o nosso estado mais vulgar é ausente, e é importante que isso seja previamente comunicado e aceite.

O retorno do MBA é quase instantâneo. A disciplina que nos impõe, o convívio com os colegas e os professores, o que aprendemos muda-nos, logo a partir das primeiras semanas. Alteramos abordagens, maneiras de pensar, forma de trabalhar, forma de estar. E não pára. Dez meses depois de concluído o MBA, o ritmo abrandou, porque o trabalho entrou em fluxo. Transformar o projeto de empreendedorismo numa empresa real contribuiu muito para isso. Mas sem MBA não haveria empresa. É por isso que é muito mais do que “valeu a pena”. É “está a valer a pena”."


José Eduardo Magalhães
Diretor de Compliance e Metodologias, Crédito Agrícola Serviços