Francisco Salvado

As dificuldades inerentes ao exercício de cargos de direção, num ambiente Hospitalar, levou-me a procurar mais formação na área da Gestão de Unidades de Saúde. Escolhi a AESE, não só pelo elevado prestígio da Instituição, mas também pelas informações recolhidas, pela metodologia escolhida e pela adequação de horários.

 

Confesso que no primeiro dia do PADIS a expectativa era elevada. O receio também: o conteúdo seria muito técnico? Como reagiria um Médico ao ensino de Gestão? Seria “suportável” voltar aos bancos de Escola?

 

No final do primeiro módulo, estas dúvidas estavam ultrapassadas e, mais do que isso, começavam a ser cumpridas.

 

O Método do Caso permite um ensino vivo e prático. A leitura e estudo individual estimula-nos na autoavaliação da capacidade de decisão. A discussão prévia em grupo, por vezes acalorada, permite aprender a ouvir outras opiniões, efetuar avaliações alargadas de cada situação e sobretudo decidir em ambiente de equipa. Finalmente, o levar as nossas decisões para a discussão em plenário, confronta-nos com uma multiplicidade de opiniões, fazendo-nos descobrir alguns pormenores, que poderiam influenciar o resultado positivo da nossa decisão. O que se torna estimulante é a grande frequência com que os “casos” estudados se sobrepõem a situações por nós vividas (e, às vezes, tão mal resolvidas…).

 

Mas a utilização do Método do Caso não é a única mais-valia do PADIS.

 

O enfoque permanente na necessidade de uma Ética da Gestão, não podia ser mais atual nesta altura em que as consequências da sua não aplicação são por demais evidentes.

 

A visita à Clínica de Navarra permite observar in loco os princípios avançados de gestão, confirmar a necessidade da primazia do Ser Humano em qualquer organização, evidenciar a possibilidade de aplicação dos princípios aprendidos e ao mesmo tempo consolidar as relações interpessoais no seio do grupo. Realço ainda a abertura dos profissionais da Clínica de Navarra, não colocando qualquer limitação à nossa visita (mesmo naqueles campos que poderiam ser mais sensíveis).

 

A perfeita organização do Programa, sem atrasos, alterações de última hora ou demonstração de falta de profissionalismo, fazem parte de uma imagem, que é só por si uma área de aprendizagem no PADIS.

 

O PADIS é assim um Programa vivamente aconselhável para todos aqueles que, tendo responsabilidade de direção, ambicionam ampliar os seus conhecimentos na área da gestão ética, eficaz e sustentável das Instituições de saúde.

 

 

Francisco Salvado

Diretor do Serviço de Estomatologia do Hospital de Santa Maria