Joaquim da Silva Ramos

Eis-me, de novo, aluno empenhado...

 

A nossa vida está sempre condicionada pela forma como convivemos com o espaço e com o tempo.

 

Nascemos, morremos, multiplicamos, dividimos, aprendemos, ensinamos, trabalhamos, descansamos; isolados, acompanhados, saudáveis, doentes, alegres, tristes - sempre no nosso espaço e no nosso tempo. Sob a dimensão transcendental, somos fruto das variações destes dois aspetos fundamentais que nos acompanham no caminho que percorremos na viagem da vida. Penso ser possível dizer que aquilo que fazemos da nossa vida é sempre função da vivência do nosso espaço e do nosso tempo.

 

Foi num determinado espaço e num determinado tempo que, afortunadamente, recebi a notícia que teria uma possibilidade de evoluir, pessoal e profissionalmente, reduzindo as minhas limitações, através da frequência do PADIS - Programa de Alta Direcção de Instituições de Saúde, na AESE - Escola de Direcção e Negócios, no Porto.

 

Frequentei vários espaços ao longo do tempo, tendo tido a possibilidade de receber conhecimentos e influências de pessoas que, de forma compreensiva, empenhada, profissional e competente, me sussurraram saberes e transmitiram valores, que urge partilhar.

 

Inicialmente, receei passar o meu tempo sem ter espaço para cumprir a exigência do desafio que iria enfrentar. Contudo, logo percebi que a tarefa estaria facilitada pela qualidade dos formadores, pela metodologia adotada (Método de Estudo do Caso), pelos colegas com quem partilhei este espaço, pelo cariz prático dos assuntos a tratar e pelo elevado profissionalismo dos responsáveis do PADIS, que sempre nos acompanharam nas nossas dificuldades. Tudo culminou na evidência real da exequibilidade dos ensinamentos recebidos, quando tive a oportunidade de visitar a Clínica Universitária de Navarra onde tudo nos foi facultado e nada nos foi escondido ou recusado. A excelência da Missão que elege teria que evidenciar-se e condicionar a minha nova e aprofundada vivência do tempo, no meu espaço. Sinto-me mais capaz no exercício das minhas funções e enriquecido como ser humano. O meu sincero agradecimento por tanto em tão pouco tempo.

 

Termino citando Aristóteles:

"Na realidade, viver como um homem significa escolher um objetivo e dirigir-se para ele com toda a conduta, pois não ordenar a vida a um fim é sinal de grande estupidez".

 

 

Joaquim da Silva Ramos | 7º PADIS

Diretor Clínico do Hospital de Magalhães Lemos