Maria José Costeira

Penso que as grandes mais valias do curso PADIS são:
•    Partindo dum exemplo prático ensinar/divulgar conceitos teóricos e áreas formativas diferentes dos conhecimentos de base dos participantes;
•    Ter como unidade funcional os grupos de trabalho, os quais são constituídos por participantes de diferentes origens, afiliações, formação, permitindo uma visão pluridimensional da mesma realidade;
•    Abordagem dum vasto leque de temas e dimensões, desde os conhecimentos “numéricos” mais pragmáticos e áridos às dimensões mais holísticas e filosóficas, sendo os temas lecionados com uma perspetiva positiva e pró-ativa;
•    Estabelecerem o paralelismo entre a realidade dos cuidados de saúde e outras organizações: se é habitual a semelhança entre as áreas da Qualidade na Saúde e a indústria automóvel, bem como entre a segurança e a indústria aeronáutica, não é propriamente habitual a analogia das unidades de saúde com as hamburguerias, manufatura e comercialização de cookies ou o multi-banco...

[Destaco] a competência (não só nos dão competência, como os professores são competentes), aplicabilidade e crescimento pessoal.

A participação no PADIS representou para mim uma oportunidade de crescimento: adquiri conhecimentos que não tinha (e que sentia falta...), aprendi onde ir buscar conhecimentos que não tive tempo para assimilar (porque o curso implica um grau de trabalho pessoal significativo!), estabeleci uma “working network” e, em vários momentos ao longo do curso, dei por mim a utilizar soluções/estratégias/recursos abordados nas aulas a situações concretas do dia a dia.


Maria José Costeira
Diretora Clínica do Centro Hospitalar do Vale do Ave