Miguel Portela

Qual a principal mais-valia que retirou do PADIS?
Os reforços positivos numa gestão centralizada nas pessoas, quer sejam colaboradores quer sejam utentes/pacientes. Aquele que foi o pilar do SNS tem sido esquecido, a espaços, por medidas de gestão mais calculistas e a humanização tão pretendida tem-se vindo a perder. Foi bom reforçar a ideia de que apostar nas pessoas dá bons resultados e os exemplos trazidos nas várias sessões foram catalisadores de confiança neste tipo de gestão.

Como sintetiza em 3 palavras a experiência PADIS?

Excelência, Praxis e evidência
Excelência - Na capacidade de organização (a melhor que já vi até hoje), na escolha dos oradores e na conjugação dos tempos letivos. Tudo é pensado e preparado para que se possa rentabilizar ao máximo o tempo dos alunos e dos professores, o que traduz a ideia que valorizam o nosso tempo como muito importante. A qualidade dos preletores e dos conteúdos escolhidos é também de topo.
Praxis - A teoria ligada à prática, o ensino baseado na evidência, no fundo onde a teoria e o caso prático se combinam na perfeição.
Evidência - Os casos concretos que comprovam a teoria, os casos que nos orientam no sentido do correto e do mais assertivo. A própria dualidade de opiniões que é possível e que reforça a ideia que mais que um caminho é possível para várias situações.

O que representou para si a experiência de participação no PADIS?

Confesso que vinha com bastante expectativa, contudo muito rapidamente percebi as vantagens que iria obter com a frequência do PADIS e a abertura de horizontes que iria alcançar.
O PADIS demonstrou-se um ensino com base na evidência, a apresentação de casos que levamos como trabalho de preparação para as sessões e que é o ponto de partida para redescobrir novos aspetos da gestão em saúde. A análise profunda de múltiplos casos com bons resultados no terreno e a discussão numa plateia onde obtemos visões das mais variadas áreas profissionais, consolida de forma mais eficaz as nossas perceções de cada um dos casos.
Aprendi, no fundo, que vale a pena questionar a prática instituída quando os resultados não aparecem ou não se adequam à missão proposta. O PADIS foi uma conjugação do saber e de saber fazer, onde a prática questiona a teoria na ordem dos resultados obtidos.


Miguel Portela
Diretor Executivo do ACeS Aveiro Norte