Natércia Miranda

Regozijo-me pela oportunidade do encontro com a AESE, uma Escola ímpar em que professores-MESTRES, alunos, funcionários e as famílias de todos formam um grande grupo escolar vivo, solidário e entusiasta.

 

Tendo tido o privilégio de integrar, como formanda, o 8º PADIS, foi-me dado revisitar os “velhos” conceitos e paradigmas da função diretiva da administração em saúde, agora vislumbrando o caminho através das lentes afinadas de preletores de excelência.

 

Tomei maior consciência de que a ação racional e objetiva, subjacente à Direção, perde muito da sua eficácia e impacte se estiver dissociada da preocupação de aprofundar o conhecimento acerca dos aspetos emocionais e espirituais das pessoas nas organizações de saúde, quer se trate de doentes, de profissionais ou de parceiros de dentro ou de fora do setor.

 

O PADIS aponta, de maneira consistente e persistente, o percurso para a excelência profissional mostrando, em complemento, sendas de desenvolvimento pessoal que a complementam. Na realidade, torna evidente o valor acrescentado que resulta de se juntar, aos conhecimentos e às capacidades e habilidades técnicas, uma leitura humanista das coisas, o que não é comum ser proporcionado por outros fóruns de formação de dirigentes.

 

O trabalho em grupo, com recurso ao método do estudo de casos, demonstrou cabalmente a importância, para os dirigentes, de escutar e de dialogar como via para o aumento do esclarecimento pessoal e da força na tomada de decisão. Os casos que serviram de eixo e de mote ao 8º PADIS foram, nesse campo, exemplares.

 

 

Natércia Miranda | 8º PADIS

Assessora do Gabinete do Secretário de Estado da Saúde do Ministério da Saúde