Operações, Tecnologia e Inovação

<< Voltar

Cibersegurança estratégica


Descrição
71% dos inquiridos num estudo da Accenture de julho de 2018 diziam que os cibertaques “são uma espécie de caixa negra; não sabemos quando ou como vão afetar a nossa organização” e apenas 13% das empresas considera ameaças futuras quando define o orçamento de segurança. Um especialista em cibersegurança referiu recentemente: “Só há 2 tipos de empresas as que já foram atacadas e as que vão ser atacadas”.
O contexto não é animador, o impacto do acesso indevido a informação crítica de negócio pode ser enorme, as fugas partem muitas vezes de dentro, a pegada digital é cada vez maior, quer na vida profissional como pessoal e as notícias de perdas de dados de utilizadores sucedem-se mesmo em organizações com orçamentos gigantescos de IT.
Sucedem-se as histórias de pessoas e organizações que ficaram reféns de ataques de ransomware (encriptação de dados para receber resgates) ou sistemas comprometidos por um simples link ou anexo num email que param empresas durante semanas com todos os prejuízos daí decorrentes. Há empresas a bloquear as portas USB dos pcs, sites a ficarem em baixo e roubos de identidade digital.
A cibersegurança já não é só um tema tecnológico ou operacional pois escalou até ao topo das organizações e o gestor deve conhecer, dum ponto de vista global, 3 dimensões do mesmo: como se prevenir e preparar, como reagir em caso de ataque e que medidas futuras tomar. É também um tema cultural que se bem gerido pode levar a empresa a uma maior maturidade.
Neste seminário, através de casos reais e com a oradores especialistas, vamos ver como gerir a Cibersegurança do ponto de vista estratégico.

71% dos inquiridos num estudo da Accenture de julho de 2018 diziam que os cibertaques “são uma espécie de caixa negra; não sabemos quando ou como vão afetar a nossa organização” e apenas 13% das empresas considera ameaças futuras quando define o orçamento de segurança. Um especialista em cibersegurança referiu recentemente: “Só há 2 tipos de empresas as que já foram atacadas e as que vão ser atacadas”.

O contexto não é animador, o impacto do acesso indevido a informação crítica de negócio pode ser enorme, as fugas partem muitas vezes de dentro, a pegada digital é cada vez maior, quer na vida profissional como pessoal e as notícias de perdas de dados de utilizadores sucedem-se mesmo em organizações com orçamentos gigantescos de IT.Sucedem-se as histórias de pessoas e organizações que ficaram reféns de ataques de ransomware (encriptação de dados para receber resgates) ou sistemas comprometidos por um simples link ou anexo num email que param empresas durante semanas com todos os prejuízos daí decorrentes. Há empresas a bloquear as portas USB dos pcs, sites a ficarem em baixo e roubos de identidade digital.

A cibersegurança já não é só um tema tecnológico ou operacional pois escalou até ao topo das organizações e o gestor deve conhecer, dum ponto de vista global, 3 dimensões do mesmo: como se prevenir e preparar, como reagir em caso de ataque e que medidas futuras tomar. É também um tema cultural que se bem gerido pode levar a empresa a uma maior maturidade.Neste seminário, através de casos reais e com a oradores especialistas, vamos ver como gerir a Cibersegurança do ponto de vista estratégico.

Destinatários
 Executivos de topo;
• Consultores e investidores;
• Responsáveis de marketing e bases de dados;
• Responsáveis de operações, segurança ou tecnologia.
  • Executivos de topo
  • Consultores e investidores
  • Responsáveis de marketing e bases de dados
  • Responsáveis de operações, segurança ou tecnologia.
Professores

Agostinho Abrunhosa, Associate Professor de Operações e Inovação na AESE
Contra-Almirante António Gameiro Marques, Diretor-Geral do Gab. Nacional de Segurança
Paulo Moniz, Information Security and IT Risk Director at EDP

Paulo Moniz, Information Security and IT Risk Director at EDPContra-Almirante António Gameiro Marques, Diretor-Geral do Gab. Nacional de SegurançaPaulo Moniz, Information Security and IT Risk Director at EDP

 

Metodologia

Método do caso e conferências colóquio

Idiomas

Português

Locais
Lisboa

Data:

7 de fevereiro de 2019

Horário:

Dia completo

Data limite:

31 de janeiro de 2019

Preço:

€ 480: Early bird de 20% até um mês antes da data de início do seminário.
€ 480: Empresas Patrocinadoras do Agrupamento de Alumni da AESE.
€ 480: Membros Agrupamento Alumni.
(Não acumulável com outros descontos)
€ 600: Geral.
A todos os preços acresce o IVA à taxa em vigor. 
Confirmação de inscrições sujeitas a pagamento prévio.

Early bird de 20% até um mês antes da data de início do seminário | 480 € 
Empresas Patrocinadoras do Agrupamento de Alumni da AESE | 480 € 
Membros Agrupamento Alumni | 480 € 
(Não acumulável com outros descontos)
Geral | 600 €

A todos os preços acresce o IVA à taxa em vigor. 
Confirmação de inscrições sujeitas a pagamento prévio.

Inscreva-se ›